Páginas

11 de abril de 2011

Esse amor tão estranho

Esse tempo que não passa, essa dor que não sara, esse medo que não some, esse amor que nunca acaba, essa tua perfeição que está sempre aqui, esse teu abraço que me deixa segura, essas palavras que me confundem, essa distância que me atormenta, esses olhos que me acalmam, essa preocupação que me alegra, essas lembranças que me confortam, essa declaração que me acelera o coração, essa esperança que dá vida, essa vida tão estranha, que insiste em continar confusa.

2 comentários:

  1. Olá, Natália.
    Gostei muito do trabalho em seu blog, pois escreves muito bem.Parabéns pela iniciativa, à blogosfera precisa de trabalhos assim. Já estou seguindo seu blog, se desejar conhecer meu trabalho de estudos historicos o endereço é http://www.construindohistoriahoje.blogspot.com
    Um abraço,
    Leandro

    ResponderExcluir
  2. Oi, obrigada, obrigada e obrigada, rs.

    ResponderExcluir